Vianinha

Nesta edição, a Flup homenageia o dramaturgo Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha. Artista múltiplo, inquieto e contestador Vianinha fez teatro, televisão, cinema, jornalismo e crítica cultural. Conciliou magistralmente estética, ética e política em suas obras. Sempre conectado às questões sociais e humanas de seu tempo, fez de seu trabalho uma espécie de alfabetização política de toda uma geração.


Vianinha produziu intensamente até os 38 anos, quando cedeu a um câncer pulmonar. Embora breve, sua obra é eterna. De Chapetuba Futebol Clube a Rasga coração; do CPC da UNE ao Grupo Opinião e daí à televisão, com a Grande família (“eu também sou da família, eu
também quero pirraçar”) ele foi a um só tempo popular e revolucionário, preocupado até o fim em mudar o mundo.


Durante o regime militar, algumas de suas peças foram censuradas – Rasga coração, por exemplo. No nosso tempo, agora-agora, em que a sombra da censura volta com surpreendente força à pauta do dia, é mais que oportuno homenagear o artista, o homem, o ativista Vianinha. Quem sabe ele não manda um novo “recadão” para a nossa geração? Afinal, parece que ainda temos muito a aprender com ele.

 

Viva, Vianinha!

© 2020  FLUP-Festa Literária das Periferias